Igreja Cristã Gileade

Igreja Cristã Gileade
Rua Major José Araújo Aguiar, 290. Fortaleza - CE - Brazil CEP. 60850-470

terça-feira, 10 de dezembro de 2013

O ALCANCE DA VIDA ETERNA


Texto: Mateus 19.16-26

A vida eterna não é um assunto tanto popular na igreja evangélica moderna (entre os neo-evangélicos), o motivo nós já sabemos: se prega hoje uma mensagem focada na vida terrena. Todavia, esse assunto foi citado 43 vezes no Novo Testamento e 02 vezes no Antigo Testamento. Isso fora as associações ao assunto de forma indireta. O que de fato merece toda a nossa atenção. Lembro-me das palavras do apóstolo Paulo quando já havia pessoas desse tipo, que se importam mais com a vida terrena do que com a vida eterna; e nisso se tornam inimigos da cruz de Cristo. Pois a promessa da cruz é a vida eterna. Ele escreveu: “... são inimigos da cruz de Cristo. O destino deles é a perdição, o deus deles é o ventre, e a glória deles está na sua infâmia, visto que só se preocupam com as coisas terrenas. Pois a nossa pátria está nos céus, de onde também aguardamos o Salvador, o Senhor Jesus Cristo, o qual transformará o nosso corpo de humilhação, para ser igual ao corpo da sua glória, segundo a eficácia do poder que ele tem de até subordinar a si todas as coisas”. (Fp.3.18-21).

A vida eterna é, à luz da Bíblia, uma esperança de que a morte será vencida com o advento da ressurreição e viveremos para sempre na companhia de Deus em Cristo Jesus. São várias as passagens bíblicas que falam disso, eu poderia ficar citando todas elas aqui, mas o meu objetivo é entregar a mensagem que Deus me deu. E por falar na mensagem, façamos algumas perguntas: É possível alguém alcançar a vida eterna? O ser humano pode ter a vida eterna obedecendo aos mandamentos? A bondade humana é o caminho para a vida eterna? O que Deus faz para que tenhamos a vida eterna? Creio que essas e outras perguntas serão respondidas nas lições que veremos a seguir.

1 – Com a bondade humana não se alcança a vida eterna: “... Mestre, que farei eu de bom, para alcançar a vida eterna? Respondeu-lhe Jesus: Por que me perguntas acerca do que é bom? Bom só existe um...” (v.16,17).

Jesus começa o diálogo com o jovem da narrativa lhe confrontando a fragilidade da bondade humana para alcançar a vida eterna. Hoje são muitas as religiões e as crenças que pregam isso: Seja bom, que você vai entrar no céu. A mensagem pregada pelo mundo tem certa semelhança, embora não creia em vida eterna e nem em Deus. Mas, acredita na bondade humana, ao ponto de depositar toda a esperança de uma vida melhor no mundo baseado nisso. Entretanto, a mensagem do evangelho de Cristo tanto é confortante em nos trazer esperança de vida eterna como é de confrontar a maldade humana, seus pecados e conseqüências, que sem Cristo o que herdamos é a morte eterna. Que é, à luz da Bíblia, um afastamento eterno da presença de Deus. Conforme falou o profeta Daniel: “Muitos dos que dormem no pó da terra ressuscitarão, uns para a vida eterna, e outros para vergonha e horror eterno”. (Dn.12.2).

Não se engane mais, tua bondade e tua auto-justiça não te levará a vida eterna. Só Deus é bom. Fomos manchados pelo pecado e por mais que venhamos a ter atitudes bondosas na vida, elas não vão apagar a macha do pecado em nós, e nem muito menos evitarão as más atitudes.

2 – Guardar os mandamentos seria uma possibilidade, se fossemos capazes de cumpri-los perfeitamente: “Se queres, porém, entrar na vida, guarda os mandamentos”. (v.17).

Aqui Jesus ainda não responde a pergunta do jovem (aliás, o jovem não consegue ter a reposta, ele vai embora antes). Jesus apenas mostra aquilo que Deus requer da humanidade: a obediência perfeita de sua Lei. O jovem cai na crença legalista de que seja capaz de cumprir perfeitamente a Lei divina perguntando a Jesus: “Quais?” (idem v.18). Ora, se Adão não foi capaz de cumprir o único mandamento (Gn.2.16,17), como seus descendentes conseguiriam sendo muitos? Todavia, Jesus entra no jogo dele respondendo: “Respondeu Jesus: Não matarás, não adulterarás, não furtarás, não dirás falso testemunho; honra a teu pai e a tua mãe e amarás o teu próximo como a ti mesmo”. (ainda no verso 18). Notem que Jesus não cita nem 1/5 da Lei. Apenas alguns, que talvez, eram os que o jovem obedecia. Fato esse que ele responde logo em seguida: “Tudo isso tenho observado”. (v.20). Porém, sua sede pela vida eterna se perde quando se julga ser capaz de herdá-la por suas obras quando pergunta a Jesus: “que me falta ainda?” (v.20). 

Será que não vivemos assim hoje? Na ilusão de que obedecendo a preceitos da lei alcançaremos a vida eterna? Veja bem, não há nenhuma falha na lei divina. Ela é perfeita, boa e santa (cf Rm 7.12). A falha está em nós (idem v.14). Quando o nosso representante falhou, todos nós nascemos com a predisposição para o mal e realizá-lo (cf Rm.3.23 e Gn.6.5).

3 – Somos transgressores da lei divina: “Disse-lhe Jesus: Se queres ser perfeito, vai, vende os teus bens, dá aos pobres e terás um tesouro no céu”. (v.21).

Jesus compreende a tentativa frustrada do jovem de alcançar a vida eterna por sua perfeição apontando o seu pecado. Na narrativa de Lucas acrescenta, Jesus diz: “Uma coisa ainda te falta”. (Lc.18.22).

Sempre que nessa vida cairmos na mentira de que nossa obediência a Lei divina vai nos dar a vida eterna aquela voz de Jesus ao jovem ecoará alto e em bom tom em nosso coração: UMA COISA AINDA TE FALTA. 

Desista de buscar a vida eterna pelos teus méritos ainda hoje! Pare de achar que pode cumprir toda a Lei. Tiago escreveu: “Pois qualquer que guarda toda a lei, mas tropeça em um só ponto, se torna culpado de todos. Porquanto, aquele que disse: Não adulterarás também ordenou: Não matarás. Ora, se não adulteras, porém matas, vens a ser transgressor da lei”. (Tg.2.10,11).

Aquele jovem retirou-se triste, por ser dono de muitas propriedades. Era rico. E com certeza a conclusão que temos é que ele não estava disposto a deixar sua avareza, e também não queria desistir de buscar a vida eterna por seus méritos. O que esse jovem deveria ter feito então? Era para ele ter se rendido a Cristo com uma simples exclamação: Salva-me Senhor!

4 – A vida eterna só é possível quando oferecida gratuitamente por Deus: “Ouvindo isto, os discípulos ficaram grandemente maravilhados e disseram: Sendo assim, quem pode ser salvo? Jesus, fitando neles o olhar, disse-lhes: Isto é impossível aos homens, mas para Deus tudo é possível”. (Mt.19.25,26).

Os discípulos insistem em saber a pergunta do jovem rico. E Jesus responde finalmente: A vida eterna é impossível aos homens. Jesus com essas palavras acaba com toda a arrogância humana. Ele elimina todas as facetas modernas de auto-ajuda, senso geral de bondade humana, antigo legalismo e chances ilusórias da conquista própria de vida eterna. Somente Deus pode salvar-nos, somente Deus pode nos trazer a ele para recebermos a vida eterna. E o caminho que ele nos Deus para isso chama-se Jesus Cristo. (cf. Jo.14.6). Ele disse: “Eu lhes dou a vida eterna; jamais perecerão, e ninguém as arrebatará da minha mão”. (Jo.10.28). Observe que Jesus diz isso as “suas ovelhas” e que lhe dão ouvidos, ele as conhece e elas o seguem. (cf. v.27).

Se você não der ouvidos ao que foi dito aqui não se comporta como ovelha de Cristo. E quem não é ovelha dele não tem a vida eterna. Todavia, a graça divina te é favorável nesse momento para que se rendas a ele. Para que pare de buscar por seus próprios méritos a vida eterna. Renda-se a Jesus!