sábado, 1 de março de 2008

Lições de Cristo aos Nicodemos da vida
















Texto base: João 3.1-12

Jesus trata de um assunto muito importante com um religioso chamado Nicodemos. Algo que está acima de rótulos denominacionais. Algo que está inerente à mensagem do evangelho. Creio eu que o “novo nascimento” é a base de todo o cristão. Não tem como ser um cristão autêntico sem antes passar por este processo.

Definição de novo nascimento: Regeneração (1Pe.1.23) de acordo com a Bíblia significa: “nascimento” (1Jo.5.1; Jo.3.7,8), “lavagem” (Tt.3.5), experiência simbolicamente expressa no ato do batismo (At.22.16), “renovação” (Tt.3.5; Cl.3.10; Rm.12.2; Ef.4.23; Sl.51.10), “Nova criação” ou “criação” (2Co.5.17; Ef.2.10; Gl.6.15; Ef.4.24) e “ressurreição” (Rm.6.4,5; Cl.2.13; 3.1; Ef.2.5,6).

Nicodemos era membro do Sinédrio (o mais alto tribunal religioso dos judeus, do qual faziam parte os sumos sacerdotes, os chefes religiosos e professores da Lei). Foi quem defendeu Jesus quando este foi julgado e quem contribuiu com as especiarias para o embalsamamento do corpo de Jesus.

Esta conversa que Cristo tem com Nicodemos nos trás vários ensinamentos:

1o - Embora as pessoas sejam incrédulas, elas reconhecem a grandeza de Jesus (v.2);
“...Rabi, sabemos que és Mestre vindo da parte de Deus; porque ninguém pode fazer estes sinais que tu fazes, se Deus não estiver com ele”.

Nicodemos era um membro importante do Sinédrio. Mas via em Cristo a sua grandeza. Meu irmão, não tenha medo de falar de Cristo. Creia no Senhor Jesus Cristo. Não tenha vergonha de ser crente ou cristão. Saiba que por mais que as pessoas sejam incrédulas e venham a escarnecer. Elas reconhecem no fundo da alma a grandeza de Cristo. Paulo já dizia para os irmãos que moravam na região mais difícil de ser crente naquela época: “Pois não me envergonho do evangelho, porque é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê, primeiro do judeu e também do grego; visto que a justiça de Deus se revela no evangelho, de fé em fé, como está escrito: O justo viverá por fé”. (Rm.1.16,17). Até os demônios reconhecem isso (Lc.4.41).

2o - Só vê ou entende as coisas do reino de Cristo quem nasceu para ele (Jo.3.3);
“...Em verdade, em verdade te digo que, se alguém não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus”.

Apesar de Nicodemos reconhecer Cristo pelos seus sinais milagrosos. Esse não é o caminho para poder ver ou entender o reino de Cristo. Por isso Jesus responde a afirmação de Nicodemos com uma declaração constrangedora. Pois não se ver ou entende as coisas do reino de Cristo por meio de sinais e maravilhas. Mas por uma experiência pessoal com Cristo.

3o - As propostas do mundo para redenção humana são naturais, porém as de Cristo são sobrenaturais (v.4-7);
“Perguntou-lhe Nicodemos: Como pode um homem nascer, sendo velho? Pode, porventura, voltar ao ventre materno e nascer segunda vez? Respondeu Jesus: Em verdade, em verdade te digo: quem não nascer da água e do Espírito não pode entrar no reino de Deus. O que é nascido da carne é carne; e o que é nascido do Espírito é espírito. Não te admires de eu te dizer: importa-vos nascer de novo”.

Nicodemos só entendia que para nascer de novo teria que voltar ao ventre de sua mãe. Ele só via uma possibilidade de renascer através dos meios naturais. Mas Cristo lhe mostrava os meios sobrenaturais do Espírito Santo de Deus. Hoje as pessoas só entendem possibilidade de mudança através de recursos humanos como: psicologia, psiquiatra, iniciativa, auto-ajuda, educação, trabalho, esporte e etc. Mas o milagre de transformação plena só ocorre em Jesus Cristo através da ação sobrenatural de Deus.

4o - Não se manipula o agir de Deus e aquele que nasceu de novo está sob o controle de Deus (v.8);
“O vento sopra onde quer, ouves a sua voz, mas não sabes donde vem, nem para onde vai; assim é todo o que é nascido do Espírito”.

Cristo revela para Nicodemos uma opção de novo nascimento sem nenhuma participação humana. Numa inteira e total dependência do Espírito Santo. Muitos querem rotular, manipular, mensurar e direcionar as coisas de Deus inutilmente. Nós ouvimos a Palavra de Deus, mas não podemos saber plenamente sobre Ele. Somos visitados pelo seu poder, mas não podemos patentear seu agir. Ele age como quer, quando quer e onde quer. Somos apenas um canal de sua glória e a Bíblia é a única fonte documental de sua revelação. Temos o caso de Simão, que queria patentear e manipular o agir de Deus (At.8.14-23).

5o - Deus se revela nas Escrituras na nossa maneira de compreensão (v.9-12).
“Então, lhe perguntou Nicodemos: Como pode suceder isto? Acudiu Jesus: Tu és mestre em Israel e não compreendes estas coisas? Em verdade, em verdade te digo que nós dizemos o que sabemos e testificamos o que temos visto; contudo, não aceitais o nosso testemunho. Se, tratando de coisas terrenas, não me credes, como crereis, se vos falar das celestiais?”

Cristo falou com Nicodemos das coisas celestiais usando de coisas terrenas para que ele pudesse entender. Cristo ilustrou a transformação que ele causa num pecador citando “o nascimento” e “o vento” para que pudéssemos entender as coisas celestiais. Assim Ele faz por toda a Bíblia Sagrada. Vemos Deus se revelando nas Escrituras, utilizando figuras de linguagens como antropomorfismos, antropopatismos tendo em vista facilitar a nossa compreensão. Não espere Deus vir do céu em toda a sua plenitude para que você acredite que ele exista. Quando este dia acontecer vai ser tarde de mais. Hoje a Palavra de Deus nos diz: “Respondeu-lhe Tomé: Senhor meu e Deus meu! Disse-lhe Jesus: Porque me viste, creste? Bem-aventurados os que não viram e creram”. (Jo.20.28,29).